Expo Nu Real

nu-real-expo-convite

1ª Exposição Nu Real 2013. Serão expostas fotos inéditas de mais de 30 ensaios fotográficos. O Coquetel de inauguração será realizado dia 6 de junho, das 20h às 23h, no Studio Decor Café. Presença dos fotógrafos e integrantes da equipe Nu Real.

1ª Exposição Nu Real | de 6 de Junho à 04 de Julho
Local: Studio Decor Café R. Marquês de Paranaguá, 363
Consolação – SP
Entrada Franca

+ infos acesse: www.nureal.com.br

Anúncios
bullying homofobia

Mulheres e Sexo | Certezas e Incertezas

woman - image by Mitya Ku on flickrs

Se tem uma coisa que me incomoda profundamente são pessoas ou veículos de informação vomitanto e impondo regras sexuais. Isso é certo, isso é errado, mulher tem que agir assim, homem assado… Isso provoca uma angústia e ansiedade tão grande que a maioria de nós sequer sabe como agir.

Meu texto de hoje no Vila Mulher fala um pouco disso. Confira!

“(…)sempre que alguém vem com discursos sobre isso ou aquilo ser normal, fazer ou não sentido, imediatamente retifico – determinadas práticas sexuais podem até ser mais comuns que outras, mas no fim das contas, praticá-las ou não sempre vai depender de cada um.

(…)

Revistas femininas despejam semanalmente baboseiras sobre como ter o corpo perfeito, como criar filhos impecavelmente, como sermos experts em sexo anal, oral, debaixo d`água, de ponta a cabeça, mas… Será que queremos (ou podemos) ser realmente tudo isso?!”

Trecho do texto Certezas e Incertezas – Diário Secreto por Beth Vieira – Vila Mulher

* Photo Credit: Mitya Ku via Compfight cc

cena do filme meia noite em paris

Meia noite em Paris

Difícil dizer qual filme de Woody Allen mais gosto, mas sem dúvida este filme de 2011, Meia Noite em Paris, entrou para o rol de meus preferidos. Não por mostrar uma Paris linda de ontem, hoje e sempre, mas por nos fazer refletir sobre a capacidade de negação (e fuga) da realidade, que o ser humano tem. Lindo!

Dev Camp 2013

O Daniel Henrique criou blog novo Byte is on the table, um espaço para compartilhar e debater sobre desenvolvimento web “y otras cositas mas” relacionadas ao tema. O post de estréia fala sobre a experiência dele no Dev Camp 2013.

Byte is on the table

logo_devcampNa última sexta-feira e sábado, dias 10/05 e 11/05, aconteceu o DevCamp 2013 aqui em Campinas. O evento é uma conferência tecnológica com o objetivo de trocar informações sobre temas inovadores na área de criação, processo e desenvolvimento de software.

Antes de mais nada quero agradecer a iniciativa e o patrocínio da empresa onde trabalho, a IMA – Informática de Municípios Associados, de investir nos funcionários, possibilitando e incentivando  a nossa participação no evento. Demonstra que a empresa está buscando inovação e que acredita na parceria conosco.

Essa foi a primeira edição do evento e na abertura um dos organizadores, funcionário da empresa Dextra, explicou sobre a iniciativa de criar o DevCamp, afinal a região de Campinas possui mais de 100 empresas na área de tecnologia e telecomunicação e  não existe nenhuma conferência desse tipo na região para que os desenvolvedores possam trocar experiências, ideias e se conhecerem.

Ver o post original 411 mais palavras

Meus cabelos brancos

mulheres cabelos brancos

Minha relação com cabelos brancos é complicada e vem de longa data. Vi minha avó materna deprimir após deixar de pintar os cabelos. E esse é um fato que nunca saiu dos meus pensamentos. Mesmo assim, sempre achei lindos os cabelos de minha avó paterna, que nunca pintou seus cabelos.

Sou de uma família de grisalhos precoces, meu pai morreu aos 46 anos com a cabeça cinza, quase branca. Meu irmão que hoje tem a mesma idade do meu pai quando morreu, também tem a cabeça bem grisalha. Seus primeiros cabelos brancos apareceram aos 16 anos. Sempre achei o máximo do charme, mas… Ele é homem! A sociedade tem uma tendência a incentivar que homens não pintem cabelos, mas nós mulheres, afffff….

Percebi meu primeiro cabelo branco aos 17 anos, aos 21 já tinha uma discreta mecha no meio da cabeça que eu até achava charmosa, mas incentivada por minha mãe, que sempre adorou pintar os cabelos de vermelho (e não consigo imaginar minha mãe sem a cabeleira ruiva), comecei ali a minha história com tintas e pincéis.

Por volta dos 30 anos, já com alguns muitos cabelos brancos à mostra, aproveitei uma queda de cabelo que tive e fiquei uns oito meses sem pintar. Dizia para as pessoas que estava dando um descanso aos meus fios, mas na verdade era uma experiência, já naquela época euqueria deixar de ser escrava das tintas.

O resultado foi o pior possível. Alguns pensavam que eu estava deprimida, outros que eu estava sem grana, cheguei a ganhar tinta de cabelo para pintá-lo, acreditem… rs.  Acabei sucumbindo à pressão dos amigos e familiares e voltando a pintar , desde então, nunca mais assumi os grisalhos.

A esta altura, por baixo da tinta, meus cabelos estão bem mais grisalhos, inclusive nas têmporas, afinal tenho 42 anos.

Acontece que a cada dia que passa tenho mais vontade de voltar à cor natural, deixar de usar tintas que ressecam tanto meus fios cacheados, mas por outro lado é cada vez mais difícil, pois de certa forma já acostumei ao meu visual. Será que vou deprimir como minha avó materna? Será que vou achar natural como minha avó paterna?

Ano passado depois de raspar as madeixas, Dona Joaninha (Lucia Freitas) ostentou com o maior charme seus grisalhos. Simone Miletic, e seus lindos e grisalhos cabelos, vive arrancando suspiros cada vez que muda a foto no Facebook. Sem saber essa mulherada me inspira e instiga.

Acho lindo o cabelo branco e mais lindo ainda mulheres que usam assim. Isso porque demonstra uma atitude, uma força, totalmente na contramão do convencional. E eu que amo uma transgressão, babo!

Confesso que ainda não tenho coragem, mas… Não se assustem se qualquer hora dessas eu assumir meus grisalhos com muita honra, sim senhor!