Anos 80 e a timidez cantada em versos

Timidez - image by IanCoulter on flickr

1984, diferente da realidade opressiva do livro de George Orwel, as coisas até seguiam bem em terras brazucas e com grandes expectativas. O Regime Militar enfraquecia, o Brasil clamava por Diretas Já!, e no auge disso tudo, o pop rock nacional começava a pipocar aqui e ali cheio de novidades. Havia uma sensação de euforia no ar.

Eu era adolescente, mas uma adolescente de quase trinta anos atrás, vale um desconto… Não tínhamos tantos direitos e nem tanta informação como hoje em dia. Muito mais que hoje, as meninas ainda eram divididas entre “pra ficar” e “pra casar”, e apesar da emancipação feminina caminhar a passos largos, e “peitar” o mundo fosse preciso,  auto preservação não era demais. As fofocas já existiam, o bullying ainda era minimizado como “zoação da galera”, mas pelo menos ainda não havia compartilhamento online, ufa! Costumávamos sobreviver às maldades alheias.

Apesar de estar quase entrando no segundo grau, de todo mundo acreditar que eu era bem despachadinha até, com os rapazes eu era uma ostra de tímida. BV (boca virgem) quase total, salvo um selinho roubado por um colega de escola mais ousado, eu tentava me misturar, sem chamar muita atenção, para não ser alvo de chacotas. Sem ser exatamente um problema para mim na época, apesar de ter amizades femininas, eu até preferia a amizade dos rapazes. Só com o tempo fui até ficando mais saidinha, beeeeem mais, mas na época… É fato. Apesar de ter um ficante aqui e ali, a inexperiência me auto segregava a um mundo de amores invisíveis, platônicos.

Curiosidade ou sincronicidade, esta foi uma época em que apareciam músicas e mais músicas sobre introversão, amores não correspondidos, que faziam os tímidos se reconhecerem nelas. Eis algumas.

  • Se Enamora, da Turma do Balão Mágico é uma das primeiras que eu lembro, e é exatamente desta época. Em 1984 a música estourava nas rádios e apesar de ser sucesso de um grupo infantil, encaixava-se como uma luva na realidade daqueles que se gostavam calados.
  • A Vida Não Presta, de Leo Jaime, é de 1985 e canta a história de um daqueles rapazes com baixa autoestima, que entra na friendzone, e passa a curtir uma fossa terrível por isso.
  • Timidez, do Biquini Cavadão, é um clássico. Uma canção de 1986, mas que passe o tempo que passar será sempre atual. Mostra os dilemas, medos e reações totalmente inversas aos desejos tão típicas aos tímidos. Que até ensaiam, mas nada fazem
  • Preciso dizer que te amo, de Cazuza, foi gravado em 1987 por Marina Lima. Nela, amigos que tem tudo em comum passam horas e horas juntos. No entanto, um deles  teme ultrapassar o limite da amizade e aceita o papel de ombro amigo com medo de perder o que tem. Apesar do desejo de se declarar, é paralisado pelo medo.
  • E apesar de Apenas mais uma de amor, de Lulu Santos, ser dos anos 90 (1992), na minha opinião é uma das mais lindas. Canta a mais uma típica história de amor platônico, do medo da rejeição, da confusão de sentimentos.

Vida de gente tímida e introvertida não é fácil não galera. E se serve de consolo, pelo menos inspira belas canções de amor, né?!

Se quiser ouvir a playlist direto no youtube, clica aqui.


Photo Credit: IanCoulter via Compfight cc

Anúncios

Comente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s