Se um cachorro fosse o seu professor…

image

Se um cachorro fosse o seu professor, você aprenderia coisas assim:
* Quando alguém que você ama chega em casa, corra ao seu encontro.
* Nunca perca uma oportunidade de ir passear.
* Permita-se experimentar o ar fresco do vento no seu rosto.
* Mostre aos outros que estão invadindo o seu território.
* Tire uma sonequinha no meio do dia e espreguice antes de levantar.
* Corra, pule e brinque todos os dias.
* Tente se dar bem com o próximo e deixe as pessoas te tocarem.
* Não morda quando um simples rosnado resolve a situação.
* Em dias quentes, pare e role na grama, beba bastante líquidos e deite debaixo da sombra de uma árvore.
* Quando você estiver feliz, dance e balance todo o seu corpo.
* Não importa quantas vezes o outro te magoa, não se sinta culpado…volte e faça as pazes novamente.
* Aproveite o prazer de uma longa caminhada.
* Se alimente com gosto e entusiasmo.
* Coma só o suficiente.
* Seja leal.
* Nunca pretenda ser o que você não é.
* E o mais importante de tudo: quando alguém estiver nervoso ou triste, fique em silêncio e mostre que você está ali para confortar.

image

Hummmm, o café

image

Das maiores dificuldades que tive quando iniciei a reeducação alimentar, a redução do café foi a mais difícil de acostumar. Isso porque sou de uma família que ama café.

Por aqui usamos cafeteira elétrica e coador de papel, coador de pano e bule, cafeteira italiana, máquina de espresso… E eu só tomo hoje uns dois cafés de 200ml com leite desnatado ao dia. 😦

Café é ótimo para ficar mais disposto, mais esperto, mais ligado, mas… É péssimo para a ansiedade e insônia. Ou seja, tchau cafezinho fora de hora.

Sim, tenho hora para o último café do dia, 18 horas. Após isso, corro o risco de virar um Gremlin (sim, como os monstrinhos do filme). 🙂  Um amigo dizia que sou a única pessoa que ele conhece que depois das 18 horas fica doidona com a cafeína… De um capuccino! Veja só.

Pois é, sigo feliz com minha pequena ração diária. Dormindo como o Gizmo, e não outro Gremlin qualquer.

Até!