A força de uma palavra amiga

i_get_by_with_a_little_help_from_my_friends

Quando uma palavra amiga faz a diferença? Creio que sempre. E, curiosamente, às vezes a palavra amiga que precisamos, não é aquela que gostaríamos de ouvir. Nem sempre afaga, às vezes até dói, mas se veio daquele que nos ama, no mínimo, deveria ser levada em conta.

“Amigo é aquele que sabe tudo a seu respeito e, mesmo assim, ainda gosta de você.” – Kim Hubbard

Quem me conhece sabe que não sou a pessoa mais sociável do mundo. Característica que quase sempre ajuda em meu processo criativo, mas que torna o meu círculo de amizades bastante seleto. Não é à toa que escritores são taxados como esquisitos e antissociais.

Confesso, nem sempre gosto de gente. E esse sentimento, quase que um mecanismo de defesa, me fez ao longo de muitos anos me afastar de muitas pessoas e, sobretudo, me fez evitar me aproximar de outras, fazer novos amigos.

Felizmente, nos últimos anos, tenho ousado quebrar alguns paradigmas pessoais, caminhando em terrenos pouco conhecidos, indo além da minha zona de conforto e descobrindo que estar errada sobre determinadas coisas nem sempre é ruim. Manter próximas, como for possível amigos que amamos e que nos amam é o que faz a diferença.

Nos últimos meses, palavras amigas salvaram os meus dias. Das gargalhadas que tem o poder de um pó de pirlimpimpim ao silêncio que tem o carinho de um abraço… Como disse a Lu Freitas –  “Quem tem amigo, não morre pagão“.

Não citarei nomes, pois sei que esquecerei alguém, mas… Que feliz eu sou por ter amigos! Obrigada por fazerem parte da minha vida.

Este post faz parte do Meme de Fevereiro, uma iniciativa das interneteiras do LuluzinhaCamp, que tem como única intenção, a diversão. Porque somos blogueiras e adoramos blogar, simples assim. Se você tem blog, corre para participar, clique aqui e saiba mais.

___

Cadastre-se

Receba por e-mail a newsletter mensal do FaceBeth e fique por dentro do que de melhor aconteceu, além das novidades que estão por vir. Registre-se clicando aqui!

A história por trás do Valentine`s Day

Imagem: Happy Valentine's Day - Por dyobmit - no Flickr

Imagem: Happy Valentine’s Day – Por dyobmit – no Flickr

Não é a primeira vez que escrevo sobre o tema. 14 de fevereiro é dia de São Valentim, data que o mundo inteiro, exceto Brasil, comemora o dia dos namorados, mas…  Quem foi, o que fez, por que comemorar nesta data?

Existem tantas, mas tantas origens para a data que celebra o amor dos apaixonados,  que só isso vale um post.

São Valentim (quem diria), assim como o amor romântico, é muito mais uma personagem construída em nossos sonhos e expectativas que fruto da realidade em si.

Um nome, muitas histórias

São Valentim (um deles) - Google Imagens

São Valentim (um deles) – Google Imagens

A Igreja Católica reconhece pelo menos três mártires com o nome de Valentim (ou Valentino), nenhum deles com registros históricos (além da tradição oral) que corroborem com as lendas.

Uma delas afirma que Valentim foi um padre que serviu durante o terceiro século em Roma. Quando o Imperador Claudius II decidiu que homens solteiros eram melhores soldados do que aqueles com esposas e famílias,  ele proibiu o casamento para homens jovens. Valentim, percebendo a injustiça do decreto desafiou Claudius e continuou a realizar casamentos de jovens amantes em segredo. Quando as ações de Valentim foram descobertas,  Claudius ordenou que ele fosse condenado à morte.

Outra lenda  sugere que Valentim pode ter sido morto por tentar ajudar os cristãos a fugir duras prisões romanas, onde eram muitas vezes espancados e torturados.

E, finalmente, uma delas conta que uma vez preso, Valentim se apaixonou por uma jovem (possivelmente filha do seu carcereiro), que o visitou durante o confinamento. Antes de sua morte, é alegado que ele escreveu  uma carta de amor assinada “de seu Valentim”,  expressão em uso até os dias de hoje.

Ao longo dos séculos, esses três Valentins foram se unificando na memória popular, dando lugar assim a um personagem, uma história e uma tradição que não pararam de se enriquecer ao longo dos séculos – até se tornar uma lenda sobre alguém que de fato nunca existiu.

Fonte: Wikipedia

“Cristianização” de uma festa pagã?

Lupercalia, celebração da Roma antiga que teria originado o Valentine`s Day

Lupercalia, celebração da Roma antiga que teria originado o Valentine`s Day

A data também é envolta em mistérios e versões. Alguns acreditam que represente data de nascimento ou morte do tão comentado São Valentim.

Outros afirmam que a igreja cristã pode ter decidido comemorar o dia de São Valentim em  meados de fevereiro, como  um esforço de “cristianizar” a celebração pagã da Lupercalia, um festival celebrado na Roma antiga em honra de Juno (deusa da mulher e do matrimônio) e de Pan (deus da natureza).

Reza a lenda que neste festival os membros da Luperci, uma ordem de sacerdotes romanos, se reunia em uma caverna sagrada onde acreditavam que as crianças Rômulo e Remo, os fundadores de Roma, foram cuidados por uma loba. Os sacerdotes sacrificavam uma cabra, para fertilidade, e um cachorro, para purificação.

Mergulhavam tiras de couro de bode, mergulhavam em sangue sacrificial e saíam às  ruas, batendo suavemente nas mulheres e aspergindo sangue nos campos de cultivo.

Apesar de um ritual aparentemente bárbaro, as mulheres romanas saudavam os sacerdotes, aceitando  o toque das peles, pois acreditava-se que promovia a fertilidade.

No final do dia, segundo a lenda, todas as mulheres jovens na cidade colocavam seus nomes em uma urna grande. E os homens solteiros escolhiam um nome e ficavam como par da escolhida durante o ano seguinte. Estes jogos muitas vezes acabavam em casamento.

Ou seja, até que faz sentido, né?!

Uma celebração ao romance

Imagem: Happy Valentine's Day! - Por ButterflySha, no Flickr

Imagem: Happy Valentine’s Day! – Por ButterflySha, no Flickr

Embora a verdade por trás das lendas de São Valentim sejam obscuras, todas  as histórias enfatizam seu apelo como simpático, heróico e romântico. Assim como as festas pagãs que podem ter inspirado a data promoviam a fertilidade e o encontro.

Talvez graças a essa reputação, São Valentim tornou-se  um dos santos mais populares na Inglaterra e na França.

Se ele é um ou vários, se foi originado em uma festa pagã… Quem se importa?! São Valentim conseguiu através dos tempos ser a personificação do amor romântico e, mesmo sem querer, do mercado que há à sua volta.

Feliz dia de São Valentim!

Este post faz parte do Meme de Fevereiro, uma iniciativa das interneteiras do LuluzinhaCamp, que tem como única intenção, a diversão. Porque somos blogueiras e adoramos blogar, simples assim. Se você tem blog, corre para participar, clique aqui e saiba mais.

___

Cadastre-se

Receba por e-mail a newsletter mensal do FaceBeth e fique por dentro do que de melhor aconteceu, além das novidades que estão por vir. Registre-se clicando aqui!

Internet e Segurança

Internet e segurança

Internet e segurança

Ao pesquisar sobre o tema da semana do Meme de Fevereiro  – Internet Segura – no LuluzinhaCamp, descobri que sou o verdadeiro santo de casa que não faz milagres. Sei de basicamente tudo o que precisa, mas uso muito pouco ferramentas de apoio, apesar de adotar habitualmente  atitudes de prevenção.

A rede está repleta de pegadinhas, verdadeiros presentes disfarçados, no melhor estilo cavalo de tróia. É tanta coisa… Malware, Phishing, Spam, Vírus, Worm, Trojan, Hoax, Bomba Lógica, Botnet, Rootkit e Spyware que nem eu mesma sei ao certo o que é o que. Sei que quase tudo pode nos ferrar de alguma forma.

Costumo dizer que neste navegável mar sem fronteiras que é a internet, quem está nele é para se molhar. Portanto, adotar algumas atitudes de prevenção é essencial.

Sempre que alguém me pede dicas eu super indico a Cartilha de Segurança Para Internet do cert.br, eles sim são um beabá e tanto. Abaixo, seguem algumas práticas pessoais que costumo adotar em meu dia a dia e ajudam bastante.

Dicas, truques e quebra galhos em nome da segurança na internet:

  • Em e-mails e sites desconhecidos, desconfie sempre de links o tipo “clique aqui”, “veja as fotos da festa” ou qualquer coisa parecida. Em muitos casos, quando conheço o remetente ou o site que sugere, para conferir que não se trata de um mal intencionado link .exe (que executa algum programa em nosso computador) clico com o botão direito do mouse em cima do link, copio a URL de destino e vejo se trata-se realmente do link sugerido.
  • Convites de novas redes sociais, nem sempre são bem intencionados, portanto confie desconfiando e nunca saia clicando em qualquer convite, mesmo que tenha sido enviado por seu amigo/irmão.
  • Uma outra coisa que estou sempre atenta nesses casos, é que mesmo que a tal rede seja do meu interesse e eu realmente quiser me cadastrar, costumo checar se ela existe, para só então me cadastrar. E ao me cadastrar, nunca saio convidando todos os meus amigos, afinal, quem disse que todos gostam de tudo o que eu gosto?!
  • Uma prática que tenho como hábito também é ter um e-mail só para cadastros e afins. Isso evita que nossos e-mails habituais entrem em listas de spam indesejadas. É muito comum ter cláusulas em contratos (que quase sempre aceitamos sem ler) liberando o nosso e-mail a parceiros. Fique esperto!
  • E falando de Spam (recebimento de e-mails indesejados, de propagandas principalmente), nunca é demais lembrar que muitas daquelas correntes de compartilhamento, pedidos de ajuda e etc que muita gente adora compartilhar costuma ser um grande chamariz de spamers. Se resolver encaminhar, procure sempre deletar os e-mails de quem enviou e se enviar para um grupo, use sempre a cópia oculta (bcc).
  • Já tive que formatar algumas vezes o meu computador. Só uma das vezes perdi tudo. Isso porque, depois dessa experiência nada agradável, me deram a dica de particionar a máquina. Com dois usuários, um com direitos de administrador e outro sem direitos, é possível evitar (principalmente em máquinas compartilhadas) que alguém cometa um erro e instale algum programa indevido.

Este post faz parte do Meme de Fevereiro, uma iniciativa das interneteiras do LuluzinhaCamp, que tem como única intenção, a diversão. Porque somos blogueiras e adoramos blogar, simples assim. Se você tem blog, corre para participar, clique aqui e saiba mais.

___

Cadastre-se

Receba por e-mail a newsletter mensal do FaceBeth e fique por dentro do que de melhor aconteceu, além das novidades que estão por vir. Registre-se clicando aqui!